A norma fisiológica na menopausa

A norma fisiológica é o início da menopausa quando a mulher chega aos 45-50 anos, quando o aparelho reprodutor vai sendo reconstruído gradativamente, completando o período de fertilidade. Porém, cada vez mais, os ginecologistas estão encontrando sinais de menopausa precoce, que são encontrados em pacientes com 40 e até 20 anos. A interrupção prematura do funcionamento dos ovários reflete-se não apenas na capacidade da mulher de se tornar mãe biológica, mas também na ativação do processo de envelhecimento associado às alterações hormonais. Os especialistas experientes da clínica Aimed, com base em diagnósticos abrangentes, desenvolvem programas individuais para o tratamento da menopausa precoce, que contribuem para a manutenção da fertilidade da paciente e preservação da juventude.

As causas da menopausa precoce estão no esgotamento prematuro do aparelho folicular ovariano – ou na completa ausência desses apêndices, que desempenham a função de produzir hormônios sexuais. Uma diminuição constante no nível desses hormônios afeta negativamente o estado funcional de todo o organismo:

aparência (pele, cabelo, unhas);

psique (distúrbios do sono, depressão, medo constante);

artérias;

músculos;

sistema musculoesquelético (distúrbios de postura, risco aumentado de fraturas).

Causas da menopausa prematura

A menopausa precoce pode começar sob a influência de razões individuais ou de um complexo de fatores que provocam a patologia:

doenças autoimunes (distúrbios na atividade da glândula tireóide e diabetes, insuficiência do córtex adrenal);

defeitos cromossômicos hereditários transmitidos pela linha materna;

tensões sistemáticas que afetam o fundo hormonal e levam a disfunções patológicas dos ovários;

operações ginecológicas nos ovários e útero, provocando uma menopausa cirúrgica;

tabagismo (aproximadamente 15% das pacientes com menopausa prematura fumam muito);

quimioterapia e radiação usadas para o câncer.

Sinais e diagnóstico

No caso da menopausa precoce, a mulher manifesta um complexo de sinais indicativos de patologia e requer um recurso a um ginecologista:

ondas de calor e ganho de peso;

coceira vaginal e distúrbios do sono;

períodos mais raros com sua cessação gradual;

dor de cabeça e fraqueza;

violação da micção;

o desenvolvimento de hipertensão e aterosclerose;

sintomas de osteoporose e sofrimento emocional.

A paciente é submetida a diagnósticos sistêmicos para identificar as causas e a dinâmica das alterações hormonais em curso: exames de sangue, exames gerais e ginecológicos, determinação da densidade óssea e do estado vascular, ultrassonografia dos órgãos reprodutivos e ECG.

Tratamento da menopausa precoce

A seleção da terapia hormonal é realizada para normalizar a estrutura dos hormônios sexuais femininos e restaurar os processos metabólicos. Vitaminas e procedimentos restauradores, sedativos e uma dieta são prescritos, e o regime diário é corrigido.

Saiba mais em: https://nycomed.com.br/realivie-funciona-review-completo-onde-comprar-desconto-formula/

Prevenção de queda de cabelo na menopausa

A menopausa é um processo biológico natural que todas as mulheres experimentam em algum momento de suas vidas. Durante esse tempo, o corpo passa por inúmeras mudanças físicas enquanto se ajusta aos níveis flutuantes de hormônio. Muitas mulheres apresentam sintomas desagradáveis ​​durante a menopausa, incluindo ondas de calor, alterações de humor e insônia . A perda de cabelo é outra ocorrência comum.

A queda de cabelo tende a ser mais sutil nas mulheres do que nos homens. A maioria das mulheres sofre de queda geral de cabelo, em vez de manchas calvas perceptíveis. O afinamento pode ocorrer na frente, nas laterais ou no topo da cabeça. O cabelo também pode cair em grandes tufos durante a escovação e o banho.

A pesquisa sugere que a perda de cabelo durante a menopausa é o resultado de um desequilíbrio hormonal. Especificamente, está relacionado a uma produção reduzida de estrogênio e progesterona. Esses hormônios ajudam o cabelo a crescer mais rápido e a permanecer na cabeça por mais tempo. Quando os níveis de estrogênio e progesterona caem, o cabelo cresce mais devagar e fica muito mais fino. Uma diminuição desses hormônios também desencadeia um aumento na produção de andrógenos, ou um grupo de hormônios masculinos. Os andrógenos encolhem os folículos capilares, resultando em perda de cabelo na cabeça. Em alguns casos, no entanto, esses hormônios podem fazer com que mais cabelo cresça no rosto. É por isso que algumas mulheres na menopausa desenvolvem “penugem de pêssego” facial e pequenos brotos de cabelo no queixo.

Para as mulheres na menopausa, a causa da queda de cabelo quase sempre está relacionada a alterações hormonais. No entanto, existem muitos outros fatores que podem contribuir para a perda de cabelo durante a menopausa. Isso inclui níveis extremamente altos de estresse, doença ou falta de certos nutrientes. Os exames de sangue de diagnóstico que podem ajudar a descartar outras causas de queda de cabelo incluem exames de tireoide e / ou hemograma completo.

A perda de cabelo pode fazer com que você se sinta constrangido quanto à sua aparência física, mas a condição não é permanente. Existem também medidas que você pode seguir para tratar a queda de cabelo e melhorar a qualidade do seu cabelo. Siga estas dicas para manter seus cabelos saudáveis ​​e fortes durante a menopausa.

1. Reduza o estresse

É importante manter seus níveis de estresse sob controle para evitar um desequilíbrio hormonal. A produção reduzida de estrogênio pode afetar a química do cérebro e causar alterações de humor, ansiedade e depressão. No entanto, fazer ioga e outros métodos de relaxamento respiratório são especialmente eficazes no combate aos sintomas da menopausa. Praticar exercícios regularmente também pode ajudar a reduzir o estresse.

2. Mexa-se

O exercício é um componente essencial de um estilo de vida saudável. Você se sentirá mais forte e feliz depois de incorporar os exercícios à sua rotina diária. Também ajuda a prevenir alguns dos outros sintomas da menopausa, incluindo alterações de humor, ganho de peso e insônia. Todos esses fatores são importantes para manter o equilíbrio hormonal, o que promove o crescimento saudável do cabelo.

Escolha uma forma de exercício que funcione para você. Você pode querer dar uma caminhada com um amigo, ir para uma academia ou correr.

3. Comer bem

Comer uma dieta balanceada com baixo teor de gordura é sua melhor defesa contra a queda de cabelo. Certifique-se de incluir uma quantidade adequada de grãos inteiros, frutas e vegetais em cada refeição. Também é importante incorporar óleos mono-saturados, como azeite de oliva e óleo de gergelim, em sua dieta. Beber chá verde e tomar suplementos de vitamina B6 e ácido fólico também pode ajudar a restaurar o crescimento do cabelo. Os ácidos graxos essenciais também desempenham um papel crucial na manutenção da saúde do cabelo. Esses ácidos graxos podem ser encontrados nos seguintes alimentos:

salmão

atum

óleo de linhaça

nozes

amêndoas

4. Hidratar, hidratar, hidratar

Seu corpo precisa ser hidratado para funcionar corretamente. Abasteça-se de H2O o dia todo e beba sucos, refrigerantes e outras bebidas com sabor que contêm mais açúcar do que o seu corpo precisa. A quantidade de água necessária varia de pessoa para pessoa e depende de vários fatores, incluindo saúde geral e intensidade do exercício. Como regra geral, entretanto, você deve tomar oito copos de 250 ml de água por dia.

Leia mais em: Realivie

5. Mantenha a naturalidade

Para evitar ressecamento e quebra, é melhor ficar longe de ferramentas de calor, como secadores de cabelo e chapinhas. Extensões e outros métodos de modelagem também podem enfraquecer o cabelo e causar queda precoce. Se você precisa tingir o cabelo, escolha uma cor de cabelo totalmente natural. Produtos químicos artificiais encontrados em tinturas e permanentes podem comprometer a saúde do couro cabeludo e do cabelo. Ao lavar o cabelo, use sempre um condicionador nutritivo para manter o couro cabeludo saudável e promover o crescimento saudável do cabelo.

Se você nadar, certifique-se de usar uma touca de natação, pois o cloro pode contribuir para a quebra do cabelo. Quando estiver exposto ao sol ou ao vento por longos períodos de tempo, é importante usar um chapéu para proteger o cabelo contra o ressecamento e a quebra.

6. Converse com seu médico sobre seus medicamentos

Alguns medicamentos têm efeitos colaterais que incluem perda de cabelo. Converse com seu médico se você estiver enfrentando uma queda significativa de cabelo e achar que o medicamento pode ser a causa. O seu médico pode ser capaz de o mudar para outro tipo de medicamento sem quaisquer efeitos secundários relatados. Não pare de tomar seus medicamentos antes de falar com seu médico, pois isso pode ser perigoso para sua saúde.